Assine nossos Feeds

RSS Feed (xml)

Powered By

Skin Design:
Free Blogger Skins

Powered by Blogger

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Pegando no Flagra...

A mensagem do Vídeo

O povo cearense possui como forte característica sua capacidade de fazer humor. Nas rodas de conversa, geralmente entre homens, se diz que num determinado bairro da capital toda casa existe três “C´s”: um coqueiro, um cachorro e um corno. Brincadeiras à parte, nosso vídeo não tem como foco principal o adultério, mas ressaltar elementos de nossa cultura que são fortes e mostrar a mudança de paradigma que vem ocorrendo ao longo da história, mesmo que esta mudança seja contra a moral e a Lei divina, para os que assim [como eu] procuram observá-la.
O homem sempre foi este “cabra macho”, capaz de trabalhar de sol a sol para colocar comida dentro de casa, que não foge uma boa briga e que é um namorador de primeira. Infelizmente estas características acabam sendo para o cearense, principalmente o mais antigo, o passe livre para ser o mandão dentro de casa e o garanhão lá fora. Ai da mulher em ir contra estas atitudes...
Já a mulher cearense é sinal de fortaleza, de garra, de luta. Quantas não enfrentaram, e enfrentam, as dificuldades para criar seus filhos que seus homens não foram homens suficientes para assumirem? Mulheres que por serem fiéis ao seu “sim” no dia do casamento permaneceram fiéis aos seus maridos, mesmo que isso lhes custasse a paz de toda uma vida. Enfim, mais que mulheres de beleza externa, devemos reconhecer o quanto estas são belas interiormente, mulheres de fé, que são capazes com suas orações de levar e trazer marido e filhos de volta para junto de si, mesmo que estes tenham que atravessar caminhos tortuosos (Pergunte sua mãe o que ela fica fazendo quando você vai pra festa...). Se o pai de família não faz o papel de abençoador do lar, com sua devoção e oração a mulher consegue trazer Deus para dentro de casa.
Infelizmente temos criado e cultivado uma cultura de desvalorização do casamento, para muitos este já deu o que tinha de dá, é uma “instituição falida”. Esquecemos que este é um Sacramento, e que não podemos sair casando e “descasando” como se troca de roupa, se escolhemos uma pessoa para dividir a vida, temos que já ter em mente que será na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, [e por que não acrescentar], na beleza e na feiúra. O direito que somente o homem rogava para si, de poder trair, acaba sendo adotado por mulheres; que até desvirtuam o próprio pecado, dizendo como na música: “mulher não trai, mulher se vinga”.  Quão bonito é um casal que seus alvos cabelos se alumiam ao sol vespertino. Mais belo ainda é chegar a eles e ouvir como foi dura a caminhada desde o alvorecer, quantas vezes sentiram vontade de largar tudo e desistir do outro, mas que tiveram sempre presente o amor que os uniam, o mesmo amor que aqueceu seus corações quando se conheceram.
P.S.: Quanto à indagação que o vídeo faz no final (no Ceará tem disso? Sim?!), melhor não comentar, cada um faça o enxame de consciência, ou veja se está nascendo uma ponta na testa... se não são homens suficientes para fazerem por onde não deixar lacunas a serem preenchidas por outros, não será, infelizmente, este blog que dará conselhos para melhorar o seu relacionamento... mas continue acessando, quem sabe não indicaremos um local maravilhoso para levar sua amada?
   
Almir Jr.
Estudante

O Cearense Fala Assim

Há quem não saiba o que é,


Há quem só fala usando,
E você sabe o que elas significam?
Quer conhecer um pouco mais ?
Então rumbora lá.....

"Diabéisso?" - O que é isso?
"Deixe de arrudei!" - Pare de enrolar!
"É bem pixototim!" - É bem pequeno!
"Ele é chei do leriado!" - Ele é conversador!
"Ele é muito estribado!" - Ele é muito rico!
"Ele é môco!" - Ele é surdo!
"Ela pelejou quissó!" - Ela tentou bastante!
"Ele só quer ser as pregas!" - Ele quer ser muita coisa!
"Isso é miolo de pote!" - Isso é besteira!
"No rumo da venta!" - Em frente!
"O caba é morto dentro das calça!" - Ele é preguiçoso!
"O bicho é lesado!" - Ele é lento!
"Peço penico!" - Eu desisto!
"Rai te lascar!" - Vá para o inferno!
"Rebole no mato!" - Jogue fora!
"Rumbora, negada!" - Vamos embora pessoal!
"Se avexe não!" - Não se preocupe! (Take it easy!)
"Só o mi!" - Muito bom!
"Só andam encangado!" - Só andam juntos!
"Tá fumando numa quenga!" - Tá com muita raiva!
Tá que nem cego em tirotei!- Não sabe o que fazer.
Ela ta distrenado- Ela está sem graça.
Ele não vale um cibazol- Ele não vale nada.
Ô menino buliçoso- O menino que não para de mexer.
Tô quengado- Tô acabdo, perdido.
Ô cabra Macho- ô homem valente.
Ali o dinheiro corre frouxo- Ali há dinheiro em abundancia.
O rapaz ta engabelado a moça- Ele está enganando a moça.
Abre a luz- Ligue a luz.
Dê o grau – Capriche.
Está na boca quente- Está em lugar perigoso.

Se você conhece alguma giria rebola pra cá, e não esqueça de deixar seu comentário!

Fonte: http://www.jorwiki.usp.br
Fonte de imagem: http://dicionarioceares.vilabol.uol.com.br/



Sertão Cearense

O sertão do Ceará é vasto e possui grandes riquezas, e ao contrário do que se imagina, essa região não possui somente terras secas que não produzem, pois muitas vezes é assim que nos apresentam o sertão,na verdade lá se abriga um extenso campo a ser explorado, principalmente no que diz respeito a cultura e crenças.
Podemos destacar algumas cidades inseridas nesta região como Quixadá, Sobral, Canindé e etc, cada uma é claro, com suas peculiaridades.


Quixadá por exemplo é considerada o melhor local da America do Sul, para a prática de parapente e Asa Delta, além de oferecer vários outros esportes radicais como Moutain Bike e Motocross, off road, rappel, e, trekking em que agencias de turismo oferecem guias para a pratica do esporte.
Uma das características marcantes da cidade são as formações rochosas, e também é conhecida por ser a cidade de origem dos autores como Jáder de Carvalho e Rachel de Queiroz que, apesar de ter nascido em Fortaleza, a capital do Ceará, possuía uma relação muito forte com a cidade,não podemos esquecer de mensionar a conhecida pedra da galinha choca.


 
SOBRAL
Sobral vem experimentando um forte processo de modernização em sua estrutura econômica. Há 50 anos, a cidade era o mais importante pólo comercial do norte do Estado. Na segunda metade do século XIX o desenvolvimento de Sobral chegou a superar o de Fortaleza. O progresso da cidade se firmou a partir da instalação de indústrias e de um vigoroso sistema educacional e de prestação de serviços de saúde.
 
 
A cidade oferece várias atrações como o museu do eclipse, casa da cultura que busca revitalizar o patrimônio histórico cultural, e para estudantes e visitantes o palácio de ciências e línguas estrangeiras, entre outros .


Em comemoração aos 80 anos da comprovação da Teoria da Relatividade, Sobral inaugurou, no dia 29 de maio de 1999, o Museu do Eclipse. Totalmente climatizado, ele tem um moderno observatório, filiado à Associação Mundial de Astronomia. Entre os equipamentos de ponta, destaca-se o telescópio mais potente e avançado das regiões norte e nordeste do Brasil. No Museu do Eclipse, estão em exposição a luneta e as fotos originais utilizadas para comprovar a Teoria de Einstein, além das fotos que registraram a presença da expedição científica em Sobral. Também pode-se conferir fotos de galáxias e planetas, o primeiro mapa lunar do Brasil e o jornal The New York Times que noticiou a comprovação da Teoria da Relatividade. Um simulador elétrico de eclipses e réplicas movimentadas do Sistema Solar traduzem, de modo virtual, as experiências das expedições astronômicas.


Destacamos ainda que no mês de setembro deste ano, os olhos se voltaram para a cidade de sobral, especificamente, para o estudante Nazareno de Souza e Nietzsche Moura Mascarenhas de Juazeiro do Norte, eles foram escolhidos pela Embaixada dos Estados Unidos para representar o Brasil no Programa jovens embaixadores. Isso demonstra o quanto a cidade investe em educação, para o desenvolvimento das pessoas e da cidade.

Fonte: www.sobral.ce.gov.br/cidade.sobral
Fonte de imagens: http://perspectivabr.files.wordpress.com

domingo, 22 de novembro de 2009

Belezas de Jericoacora







Jericoacoara é um lugar fora do comum... As ruas são cobertas de areia e as praias extendem-se por quilômetros sem interferências visuais... Tudo tem um toque mais lento e mais descontraído. Até cerca de 20 anos atrás, Jeri era apenas uma simples vila de pescadores isolada do mundo, visitada somente por viajantes aventureiros. Mas tudo isso não quer dizer que você vai ter que se privar do conforto e luxo. Quase tudo que desejar, você pode ter em Jeri; desde massagens a jantares deliciosos, de bares tranqüilos a casas com música ao vivo, tem de tudo para todos. A cidade ficou famosa por ser uma das praias mais belas e longas do mundo, é considerada uma das praias mais exuberantes do planeta. Não há dúvida que a beleza de Jeri é muito diversa, não é por acaso que os passeios de buggy e quadriciclos são os mais procurados pelo turista. Lagoas imersas entre enormes dunas, praias virgens, esculturas naturais nas rochas do Serrote rodeiam esta mágica vila. Lembre-se Jericoacoara é um Parque Nacional onde a ecologia tem um significado muito valioso entre os moradores.

Fonte: http://www.portaljericoacoara.com.br/

Forró

O forró é um dos ritmos musicais mais populares no estado Ceará, ele já faz parte do dia-a-dia do povo cearense, seja realizando alguma atividade, na rua, conversando com amigos, nas festas ou apenas por lazer, o cearense não deixa de ouvir um bom forró.
Entre vários ritmos diferentes que são comumente identificados como forró destacam-se o Baião, o Coco, o Rojão, a Quadrilha, o Xaxado e o Xote, o Forró Universitário e o Forró Eletrônico.
O Forró é especialmente popular nas cidades de Juazeiro do Norte e Fortaleza, que também é conhecida como a capital do forró, onde são promovidas grandes festas que duram a noite toda.
O forró é um estilo de música que virou também dança, o ritmo pode ser dançado agarradinho por duplas ou casais, ou serem feitas diversas evoluções, o que dependerá da música que está sendo tocada. Essa dança exigirá sensualidade e cumplicidade entre os parceiros.
Algumas bandas cearenses que se consagraram: Aviões do Forró, Banda Styllus, Capital do Sol, Cavalo de Pau, Forró Real, Forró na Veia, Furacão do Forró, Gaviões do Forró, Lagosta Bronzeada e Solteirões do Forró. Além das bandas podemos citar outros cantores forró que se tornaram muito conhecidos e têm suas raízes no Ceará como Waldonis.




Fonte: andancasdelory.files.wordpress.com, http://grupobrasil.files.wordpress.com e www.avioesdoforro.blogger.com.br

Ceará Moleque

A irreverência do cearense é perceptível em qualquer lugar que se encontre. E quem duvida que em todos os lugares do mundo exista um? Talvez, por isso digam que estes dominarão o mundo.

As vaias constantes fazem parte do dia-a-dia destes que embora adultos não deixam de se expressar, afinal de contas essa é uma marca registrada dos gaiatos do Ceará. Na Praça do Ferreira, a freqüência das vaias populares eclodiam principalmente, na conhecida “esquina do pecado”, onde o vento constante ameaçava levantar as saias das mulheres que por ali transitavam, e é claro os galhofeiros estavam lá, instalavam se para dar o ar da graça, levando a policia a iniciar uma vigilância constante.

Até mesmo a natureza não passa despercebida a essas canalhices, contam que certo dia começou a chover, e isso durou o tempo suficiente para aborrecer a população que não estava acostumada a tanto aguaceiro, e a ficar tanto tempo sem sair as ruas para mangar dos outros, um belo dia o sol surgiu tímido por entre as nuvens, e foi recebido com estrondosa vaia por aqueles que ainda assim arriscavam se a ir a Praça do Ferreira.

Alguns atribuem esse jeito moleque as dificuldades que o povo passa encontrando, portanto, no riso o modo de ultrapassar essas barreiras.


Fonte das imagens:
http//www.fla.matrix.com.br e www.horadorecreio.com

Serras do Ceará



As serras cearenses são a melhor representação do contraste climático existente no estado.  As serras recebem tanto visitantes locais quanto de outros estados do país e até do exterior, estes são atraídos pela exuberância natural, pela temperatura agradável, pela calmaria e pelos famosos festivais que acontecem na região.
No Maciço de Baturité podemos encontrar as seguintes cidades serranas:
Palmacia, Redenção, Baturité, Mulungu, Guaramiranga, Pacoti eAratuba.

Serra de Baturité


A cidade fica no sopé do Maciço, numa altitude de 175m acima do nível do mar. Estando a 106 km de Fortaleza, Baturité tem uma área de 347,30 quilômetros quadrados. Seu acesso se dá pelas CE-060 e CE-356.  Limita-se ao norte com Pacoti, Redenção e Guaramiranga, ao sul com Itapiúna, à leste com Aracoiaba e à oeste com Mulungu e Capistrano. 
O clima da cidade, por estar abaixo das outras cidades serranas, é um pouco mais elevado, sendo semelhante ao da capital, mas sendo privilegiado pela vegetação que ali cerca, com uma temperatura que vai da máxima de 30ºC e da mínima de 24ºC. Baturité é detentor de uma das últimas reservas da Mata Atlântica do Ceará, perfeito para a prática do Ecoturismo. Em meio a bela paisagem, encontramos as Cachoeiras da Volta, do Frade, do Perigo e do Jordão. Existem ainda os Poços da Moça e da Panela. 


                             Retrato da beleza natural do município de Baturité. 









                                                                                                     Vista do alto da serra.


Fonte: www.estacaodoturismo.hpg.ig.com.br

Serras do Ceará



Serra de Palmácia.


O município está localizado em área montanhosa, o que permite que ele seja recortado por pequenas ribeiras e corredeiras.
No período dito chuvoso, podemos encontrar na subida da serra pequenas fontes que garantem um toque especial à paisagem e uma beleza singular aos olhos do viajante.
A cidade se localiza no norte cearense e faz divisa com os municípios de Maranguape, Pacoti, Redenção, Guaiúba e Caridade.    
O município fica a 62 km da capital, do estado e o acesso rodoviário se dá por meio da CE-065
Os principais pontos turísticos são os Rios Água Verde e Pacoti, a descida da Serra da Água Verde, os picos da Bacamarte, morros do Caititu e do Cruzeiro, paisagens de serra e serrotes, cachoeira do Cláudio, pescaria na Fazenda Água Verde, Bicas.



Vista da cidade de Palmácia.




Uma das belas cascatas que você poderá encontrar em Palmácia.


Fonte: www.ferias.tur.br e www.citybrazil.com.br

Serras do Ceará

Serra de Pacoti.


É uma cidade aconchegante que manteve a tradição do plantio e colheita de cultivo do café desde 1873, além de propiciar a visita a belos pontos turísticos como a Cachoeira Furada e o Poço do Veado e conhecer várias espécimes de plantas. Outro atrativo da cidade é o famoso Festival Café com Chocolate e Flores, este evento tem como objetivo resgatar as tradições culturais e gastronômicas de Pacoti.



Arco de Nossa Senhora de Fátima.
Localizado na rua 13 de maio, o arco é portão de entrada para quem acessa o município via Palmácia, através da Rodovia Carlos Jereissati - Ce 065. 
O arco, inaugurado em 12 de dezembro de 1953, foi erguido com o intuito de homenagear a Nossa Senhora de Fátima. Por este motivo, a arquitetura simboliza um sinal de bênção aos visitantes que entram e saem da cidade.






Cachoeira Furada.





Situada na localidade de Jardim de Areias, no distrito de Santana, a 10 km da sede do município, a Cachoeira está dentro da Área de Proteção Ambiental - APA, de Baturité. É um local de difícil acesso, mas de rara beleza, marcada por rochedos que formam grutas com fontes subterrâneas e poço ideal para banho.
As formações rochosas escondem segredos e lendas de jovens índias, que vinham tomar banho durante as noites de lua cheia e escondiam-se nas grutas ali existentes. Chama-se Cachoeira Furada devido a um determinado ponto onde o rio desaparece, surgindo dentro de uma gruta mais à frente.







Poço da Veada.
Considerada uma das mais bonitas cachoeiras, o local desperta a curiosidade dos visitantes. Localizado no Sítio Horizonte Belo, em Monguba, dentro da Área de Proteção Ambiental - APA, o Poço da Veada possui uma área de 16 hectares. 
Distante 3 km de Monguba e 5 km da sede do município, o atrativo oferece várias quedas d’água e um belo poço para banho, além de outras cascatas de abundantes paisagens e mananciais hídricos.



Fonte:Fonte: www.pacoti.ce.gov.br

Serras do Ceará

Serra de Aratuba.


Mais uma das cidades pacatas do Maciço de Baturité, Aratuba. É a cidade de maior altitude da serra, com 945m, lembrando que não é lá onde fica localizado o famoso Pico Alto, ponto culminante do Maciço. A temperatura varia com  máxima de 25ºC e mínima de 14ºC. 
A cidade tem uma área de 157,50 quilômetros quadrados, com uma população aproximada de 12 mil habitantes.Sua distância de Fortaleza é de 132 km, tendo acesso pelas CE-060, CE-356 e CE-065 (via Maranguape). Limita-se ao norte com Mulungu, ao Sul com Itapiúna e Capistrano, ao leste com Capistrano e à oeste com Canindé.  Aratuba, como quase toda cidade serrana, oferece a quem a visita um clima agradável, perfeito para quem vem atrás de descanso e paz, longe das cidades grandes. Possui a Reserva Ecológica de Aratuba e Reserva do Brejo, contando com o Ecoturismo, atividade que vem cada vez mais crescendo no Ceará. 
Seus atrativos são a Cachoeira da Pindoba, as fontes do Aracaju e dos Tavares, o Serrote da Bendita, O Parque Pirapora, o Rio Pindoba, o Mirante Quebra faca e nos picos do Mussum e do Acarape, de é possível ter uma bela visão do maciço, de um lado, e do sertão cearense, de outro. 


































Fonte:www.estacaodoturismo.hpg.ig.com.br, www.nominuto.com e www.panoramio.com

Serras do Ceará

Serra de Guaramiranga.


Muito apropriadamente, Guaramiranga é denominada a "Cidade das Flores". Há quem a chame de "Suíça Brasileira", quando não a "Cidade Jardim". Guaramiranga está acima de Baturité, no meio do Maciço, com altitude de 865m. Sua temperatura varia da máxima de 25ºC e da mínima de 18ºC, e é esse clima o principal causador de todo esse espetáculo de flores que acabam brotando na cidade.



As flores deixam a cidade de Guramiranga ainda mais encantadora.


A área da cidade corresponde a 107,60 quilômetro quadrados, limitando-se ao norte com Pacoti, ao sul com Mulungu, à leste com Baturité e à oeste com Caridade. Está a 123 km de Fortaleza, com acesso pelas rodovias CE-060, CE-356 e CE-065., rodeada da natureza.
As principais manifestação e tradições culturais são: Festival Nordestino de Teatro Amador, que acontece todo o ano em setembro; o Dia do Município, em 22 de setembro; Festa da Padroeira Nossa Senhora da Conçeição, em 8 de dezembro; Coroação de Nossa Senhora de Fátima, com a realização de novenas durante todo o mês de maio; Arte em Flor, em agosto; e a última novidade em carnaval no Brasil, com classe e diferenciação no Festival de Jazz e Blues.
A serra de Guaramiranga é uma atração natural. O ponto culminante é o famoso "Pico Alto" do Maciço de Baturité, com 1115m de altitude. De lá, podemos ter uma visão espetacular do sertão lá em baixo, em meio ao verde da vegetação das serras, também podemos ver uma parte do rio Pacoti, que nasce em Guaramiranga mesmo, a 6km da sede, aonde você chega através de trilhas ecológicas ou, ainda, existe um acesso por estrada asfaltada.



Vista da Serra.


O acesso Guaramiranga-Pernambuquinho dá a uma sucessão de sítios e árvores gigantescas. Uma viagem que vale a pena. Existe o Parque Ecológico de Guaramiranga, uma área de proteção ambiental.  Sem contar com as Cachoeiras de São Paulo e do Urubu. Outros atrativos são a Linha da Serra e o Parque das Trilhas. 



Fonte: www.estacaodoturismo.hpg.ig.com.br

Serras do Ceará




Serra de Mulungú.


Uma cidade atraente que envolve pelo  frio gostoso, próprio das altitudes a que se encontra - 790m. Sua temperatura varia da máxima de 26ºC à mínima de 17ºC. Mulungu é um convite permanente para quem gosta de tranqüilidade, como não deixa de ser as outras cidades do Maciço de Baturité. Cidade pacata, de povo alegre e hospitaleiro, tem como padroeiro São Sebastião. A cidade tem uma área de 103,80 quilômetros quadrados, limitando-se ao norte com Guaramiranga, ao sul com Capistrano e Aratuba, à leste com Baturité e à oeste com Caridade e Aratuba.


Pôr-do-sol em Mulungú.

De Fortaleza até Mulungu são 114 km, com acesso pelas rodovias CE-060, CE-356 e CE-065. A população da cidade já passa dos 8 mil habitantes. Mulungu tem como atrativos naturais a serra em si, com seus clima agradável, suas paisagens, quedas d'água, piscinas e duchas naturais. Entre as maiores atrações, temos: as Cachoeiras do Coicó e da Santa Maria e a Barragem do Chico.


Fonte: www.estacaodoturismo.hpg.ig.com.br

Serras do Ceará


Serra de Redenção.


É a primeira cidade, antes de subir o Maciço de Baturité pela CE-060, estando a apenas cerca de uma hora de Fortaleza, distando de 66km.
Sua população já tem quase 25 mil habitantes. Redenção tem uma área de 240,70 quilômetros quadrados, limitando-se ao norte com Palmácia e Guaiúba, ao sul com Aracoiaba, à leste com Acarape e Barreira e à oeste com Pacoti e Baturité. 

Na entrada de Redenção nos deparamos com o Monumento da Negra Nua, marcando e lembrando que a cidade foi a primeira a libertar seus escravos. Ao lado vemos a Fazenda da Douradinha, há ainda outros sítios e fazendas. Na cidade, podemos encontrar praças representativas, uma delas com um monumentos do Obelisco, a Praça da Liberdade, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, o Paço Municipal, o Museu Memorial da Liberdade, entre outros prédios.
Todos os lugares do município têm uma importância para a libertação dos escravos, onde os visitantes poderão conhecer a história e os locais dos acontecimentos.


Cachoeira em Redenção.


 Praça da Cidade de Redenção.


Fonte: www.estacaodoturismo.hpg.ig.com.br

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Agradecimentos...




Ao Jonathan da Power Graf que nos deu apoio para produzir as blusas. Assim como o professor Barbosa.







Almir Júnior e César que atuaram e nos ajudaram na construção e edição do vídeo. Além da mesnsagem postada no blog.




Ao pessoal da Fic Copy que permitiram que divulgassemos o blog dentro do estabelecimento.




Ao Jorge da lan-house Informar que também nos permitiu realizar a divulgação do blog dentro do seu estabelecimento. 




À todos que acessaram e estão acessando blog Portal do Ceará!!!!

Equipe Portal do Ceará



Divulgando o blog...










quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Culinária Cearense

A cozinha cearense tem sabores tropicais e exóticos, com temperos peculiares que agradam aos mais exigentes paladares. Em geral, seus pratos refletem traços marcantes da cultura popular e da influência deixada pelos colonizadores.

Coisas do Sertão

 Arroz, feijão, manteiga e queijo combinam para fazer um dos pratos mais populares: o baião-de-dois. Do sertão vem, também, a carne de sol com paçoca ou macaxeira. A carne é utilizada para preparar a paçoca, um prato feito à base de carne seca torrada e pisada no pilão com farinha e cebola. Muita gente não consegue resistir a uma panelada (cozido de vísceras e mocotó de boi), a buchada (saquinhos de pedaço de bucho, recheados com miúdos de carneiro), o guizado de carneiro (também conhecido como carneirada), o sarrabulho (picadinho de vísceras e sangue talhado de porco), ou a carne assada com coalhada.

Na mesa cearense, são encontradas várias guloseimas, apropriadas para o café da manhã ou na tradicional merenda (expressão tipicamente nordestina). Das casas de farinha, vêm as tapiocas (preparadas com goma e coco ralado), o grude (também feito com goma e coco ralado) e a rosca de goma. Nos engenhos de cana de açúcar, são feitos o nutritivo caldo de cana e a popular rapadura. A cachaça, no entanto, é o principal produto de cana de açúcar.

Nas festas juninas, em meio a toda animação dos fogos de artifício e das coloridas bandeirolas, podemos comer deliciosos doces e bolos. Os mais típicas são o pé-de-moleque (bolo feito de massa de mandioca, leite de coco, rapadura, castanha de caju e outros ingredientes), o bolo de batata, o bolo de mandioca, o cuscuz (pequeno bolo feito de massa de milho e farinha). Sortidos também são os doces de caju em calda, a cocada com rapadura, o doce de mamão, o doce de jaca, o doce de batata doce com leite de coco e o doce de jerimum.

As frutas tropicais aparecem nos licores, nas batidas, nos sucos e refrescos que ajudam a matar a sede.


Dica: Receita Paçoca Cearense 


Ingredientes:

1 kg de carne-de-sol (isto é, carne-seca cearense), cebola roxa, farinha de mandioca o suficiente, manteiga da terra ou óleo; pimenta-do-reino e alho.


Modo de Preparo:


Deixe a carne de molho em água de um dia para o outro na geladeira.

No dia seguinte ferva a carne para tirar mais o sal. Se ela for muito dura, ferva mais um pouco para amaciar. Depois corte a carne fervida em pequenos pedaços e tempere com pimenta-do-reino e alho.
Frite-os na manteiga ou óleo. Junte a cebola e refogue. Não deixe fritar muito para não ressecar. Acrescente à carne aproximadamente meio quilo de farinha de mandioca .
Pila-se então no pilão de madeira, ou passe ligeiramente no processador. Tem que ser rápido para não esfarelar a carne. Se gostar acrescente um pouco mais de cebola crua cortada em rodelas ou cubinhos. É excelente se acompanhada de banana.

2.bp.blogspot.com, www.ceara.com.br e www.congresourm.com.br

Comidas Típicas

Frutos do Mar



Os produtos do mar são os mais característicos da culinária cearense, despertando o interesse dos turistas, principalmente daqueles cujas cidades não são banhadas pelo mar. O prato de peixe mais tradicional é a "peixada cearense" (cozido de peixe com legumes, acompanhado de pirão de farinha), servida em todos os restaurantes da cidade, dos mais simples aos mais sofisticados.

Outros crustáceos bastante consumidos são o caranguejo, siri e a ostra e a lagosta. O turista pode degustar saborosos pratos com esses ingredientes em restaurantes ou, se preferir, em ambiente descontraídos, tendo como cenários os coqueiros e a brisa do mar nas barracas instaladas ao longo da orla marítima.

Servido de formas variadas, o camarão também é muito apreciado pelos visitantes, com esse marisco, são criadas receitas deliciosas e criativas.

Dica: Receita: Peixada Cearense
Por Maria Clara  


Ingredientes: 
1 Badejo fresco
Repolho cortado em cruz
Cebolas inteiras
Batatas inteiras descascadas
Cenouras partidas ao meio ao comprido
Ovos cozidos inteiros
Tomates cortado em cruz
Pimentão inteiro ou em bandas
Limão
Colorau
Sal
Alho
Farinha e farinha de trigo

Modo de preparo
Limpar, cortar e lavar o peixe, do modo convencional. Esfregá-lo com sal, limão e alho e deixá-lo em descanso durante alguns minutos, para tomar  gosto. Enxugá-lo em pano seco e limpo, e reservar.
 
Refogar os ingredientes de tempero com o óleo e o colorau. Adicionar o repolho, a cebola a cenoura, a batata e os ovos para cozer, cada um a seu tempo de cozimento. Quando tudo estiver praticamente cozido, juntar o peixe e, em seguida água fervente, o bastante para cobri-lo. Tampar a panela e esperar que atinja o ponto desejado.

Fazer um pirão pelo mesmo método utilizado no Pirão de Leite, substituindo o leite por parte do caldo da Peixada. Ao restante do caldo, adicionar um pouco de farinha de trigo dissolvida n’água, para engrossar o molho.  Servir quentes, o peixe e o pirão, um complementando o outro.

www.culinaria-receitas.com.br, www.ceara.com.br e www.congresourm.com.br 

Principais Poetas Cearenses


Antônio Gonçalves da Silva, mais conhecido como Patativa do Assaré (Assaré, Ceará, 5 de março de 1909 — 8 de julho de 2002) foi um poeta popular, compositor, cantor e improvisador brasileiro. Obteve popularidade a nível nacional, possuindo diversas premiações, títulos e homenagens (tendo sido nomeado por cinco vezes Doutor Honoris Causa). Uma das principais figuras da música nordestina do século XX. 




Juvenal Galeno da Costa e Silva (Fortaleza, 27 de setembro de 1836 — Fortaleza, 7 de março de 1931) foi um poeta brasileiro, de grande destaque nas letras cearenses, e um dos fundadores do instituto do Ceará, Patrono da Cadeira nº 23 da Academia Cearense de Letras.







Rodolfo Marcos Teófilo (Salvador, 6 de maio de 1853 — Ceará, 2 de julho de 1932) foi um escritor brasileiro de estética literária regional-naturalista, além de poeta, documentarista, contista e articulista. Foi membro fundador da Academia Cearense de Letras. É considerado um dos principais expoentes da literatura regional-naturalista do Brasil e um dos maiores nomes da literatura do Ceará. Em sua homenagem, o Centro Acadêmico de Farmácia da Universidade Federal do Ceará tem o seu nome. 




Artur Eduardo Benevides (Pacatuba, Ceará, 1923) é poeta, ensaísta e contista brasileiro, com mais de quarenta livros publicados. É membro da Academia Cearense de Letras, da Academia Cearense de Língua Portuguesa e da Academia Fortalezense de Letras, integrante, também, do Grupo Clã. É vencedor de mais de trinta prêmios literários, destacando-se a Bienal Nestlé de Literatura, em 1988.



O saudoso sacerdote cearense Padre Antônio Tomás (1868-1941), foi considerado “Príncipe dos Poetas Cearenses”, título justo e merecido, pois seus versos ficaram consagrados, notadamente ‘O Palhaço’, ‘Eva’, ‘Contraste’, ‘Mater Dolorosa’, ‘Emigrantes’ e inúmeros outros. 



Antônio Bezerra de Meneses (Quixeramobim, Ceará, 21 de fevereiro de 1841 — Fortaleza, 28 de agosto de 1921) foi um naturalista, historiógrafo e poeta brasileiro. Escreveu obras que são referências para a compreensão da história do Ceará. Colaborou com diversos jornais da capital, dentre eles O Ceará e o Libertador, tendo sido um dos fundadores de ambos. Foi também fundador do Instituto do Ceará. É patrono da 4ª (quarta) cadeira da Academia Cearense de Letras. 




Aderaldo Ferreira de Araújo (Crato, 24 de junho de 1878 — Fortaleza, 29 de junho de 1967), mais conhecido como "Cego Aderaldo" foi um poeta popular cearense que se destacou por seu raciocínio rápido improvisando rimas e repentes.

 
http://www.twitterbuttons.com
By TwitterButtons.com